As causas psicológicas da insônia

Os distúrbios do sono de origem psicológica são mais comuns que os distúrbios do sono de origem patológica. Geralmente eles aparecem em sequência a um distúrbio mental, sendo considerados sintomas de insônia. Às vezes acontece que a causa não é uma doença, mas simplesmente um estado de espírito leva a esses distúrbios do sono. Em todo o caso, o paciente precisa esclarecer qual é a causa psicológica para poder tratar o distúrbio da melhor forma possível.

Estados depressivos

No caso da depressão, estão envolvidos vários neurotransmissores que não funcionam como deveriam. A melatonina é um desse compostos químicos que, entre outras coisas, regula o ritmo do sono. As taxas de melatonina são normalmente elevadas durante o sono, se dissipando pela manhã com a luz do dia. A melatonina, como fonte de depresssão, tem na luz do sol uma fonte natural de dissipação, o que evita a depressão. A depressão ocorrerá, se por uma razão ou outra, as taxas de melatonina estiverem altas durante o dia. A depressão sazonal, por exemplo, está ligada, em certos países, à ausência de luz durante certos meses do ano, como do outono ao inverno. No mais, os distúrbios depressivos têm outras formas de se minifestarem na insônia.

Exigências excessivas e excesso de trabalho no codidiano

Distúrbios do sono e insônia são os principais sintomas de diferentes reações ao estresse e tensões da vida cotidiana. Por exemplo, em relação à síndrome de Bunout (esgotamento físico e mental, geralmente ligados às condições de trabalho), o ser humano reagirá de forma negativa ao estresse e outros problemas.

Mas os distúrbios do sono também podem ser um preúncio de doença ou simplesmente uma aviso. Os próprios pacientes observam que eles ficam acordados durante a noite, pensando em coisas e acontecimentos que ocorreram durante o dia ou que eles não conseguiram superar. Eles não conseguem se desconectar, sendo muito difícil para eles se acalmarem para dormir.

Aditivos

Muitos tipos de dependâncias têm consequências nefastas no sono. O melhor exemplo é o alcoolismo. O álcool relaxa os músculos, o que provoca o ronco. Desta maneira, a pessoa destrói seu próprio sono, já que o álcool provoca irregularidades respiratórias durante o sono, acordando, assim, a pessoa várias vezes, o que não ocorreria se a pessoa não tivesse ingerido bebida alcoólica antes de dormir. As drogas ilícitas, a nicotina e os medicamentos também não têm um efeito benéfico sobre o sono, podendo até provocar diversos problemas. Uma das diversas causas é, sem dúvida, o amoníaco, molécula presente em várias substâncias nocivas e em alguns alimentos e que agridem o cérebro. Pode-se eliminar esta poluição presente no sangue com amoniácidos (glutamina, ornitina e arginina), assim como também a eliminação imediata desse aditivo de certos alimentos.

Os distúrbios de ansiedade

Muitos insones sofrem de ansiedade, o que os impede de dormir corretamente, ou simplesmente de dormir. As crises de angústia, até mesmo crise de pânico são uma causa frequente de insônia, mesmo que elas não estejam diretamente relacionadas ao sono. Se essas crises aparecem durante o sono, pode ser que a pessoa afetada não consiga mais dormir. Ela estará muito ocupada tentando se acalmar para evitar uma nova crise de angústia. No mais, os transtornos de ansiedade, assim como os medos obsessivos, têm um efeito negativo sobre o sono reparador, já que o doente fica pensando o tempo todo em sua própria compulsão e não consegue encontrar o sono.